Personagens Secundários Não Fazem História

08:55


Sancho-pança, Robin, Obi-Wan, Mr Miyagi, Pinky, Greg, uma lista infinita de nomes dos quais só decoramos por decorar. Nomes que não nos importamos em saber. Nomes que podemos substituir por "o parceiro daquele personagem". Nomes que expressam o que representam, pois, mesmo se ele salvar o dia no final, sempre vai estar a sombra do principal. Nomes de personagens que não são vistos nem devidamente valorizados.
Sentem e tirem o sapato (vocês são e sempre serão de casa) para podermos falar deles.
Em um livro que eu li (O Céu Está em Todo Lugar, recomendo), contaram uma história sobre cavalos e pôneis acompanhantes. O pônei acompanhante sempre estará a sombra do cavalo maior, sempre será só um complemento, um extra. Nunca será o principal. Pôneis acompanhantes não fazem solos assim como personagens secundários não fazem história. Isto porque a vida que está sendo explicitada é a do personagem principal, então os outros personagens são apenas pôneis acompanhantes com a finalidade de fazer a história não virar um monótono.
Agora, pense comigo, se a vida é sua, por que você se daria o trabalho de abandonar seu solo? Por que exigiria a estupidez de ser o personagem secundário quando se tem tudo pra ser o principal? É a sua vida, seu palco. Se você abandona-lo por medo de cair ou de estragar a peça, alguém vai tomar seu lugar na hora e você vai achar que deveria ser assim, porque a pessoa consegue atuar incrivelmente bem na vida dela e na sua e então você não vai querere mais ficar nem ao menos à sombra dela e decide assistir da plateia enquanto ela rouba a cena. E quem disse que só pode ser uma pessoa? Objetos, sentimentos, doenças, problemas. Qualquer coisa pode tomar seu lugar e se você deixar pode perdê-lo pra sempre.
Imagine perder o controle da própria vida. Do único solo que é seu por direito, das suas oportunidades, dos seus sonhos. Perder tudo isso para algo ou alguém que não se importa tanto com eles quanto você. Alguém que vai jogá-los no lixo e sujar todo palco. Não importa o quanto você ame essa pessoa-objeto-doença-problema e o quão importante ela for, ela não terá o mesmo cuidado com sua vida que você tem.
E no fim isso te destruirá.
Eu tive esse  problema. Abandonei meu solo por uma pessoa, e depois que ela foi embora eu não quis mais o lugar de protagonista, estava imundo. Então me sentei na plateia e deixei que meus problemas fizessem meu papel. Um dia, em que eu estava de bom humor, resolvi voltar pro palco. Me arrumei, cortei o cabelo, pintei as unhas, me maqueei. Eu estava avassaladoramente linda, mas não foi o bastante, eu era invisível e não podia culpar ninguém além de mim mesma por isso. Foram longos 8 meses até agora em que me sinto realmente de volta no poder (não, não fui pro lado negro da força, embora pareça, comigo falando assim) e não quero que mais ninguém viva como eu vivi, porque é terrível. Então quero dizer a vocês para não deixarem o solo de vocês escapar. Não deixem que levem o maior direito de vocês, o direito à própria vida.
Vivam por vocês, amem dando papéis de coadjuvantes e não de principais. Só há espaço para um principal e esse deve ser (e espero que esteja sendo) você.

Queria muito que essa postagem fosse apenas para descontrair e que ninguém vivesse nessa realidade, pois gosto muito de vocês.
Até mais.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Eu adorei o texto é a forma com que falou, realmente nem nos damos conta que por mais que esses personagens existam eles nunca ficam no foco mesmo fazendo a mesma coisa que o heroi kkk eu amei o seu blog é muito lindo e organizado e por isso estou seguindo aqui, se puder retribuir o carinho, e muito sucesso pra ti ♥
    lravilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postagens populares

Pinterest

Like us on Facebook

EM BREVE